Retrato

O meu perfil é duro como o perfil do mundo, 
Quem adivinha nele a graça da poesia? 
Pedra talhada a pico e sofrimento, 
É um mundo hostil à volta do pomar. 

Lá dentro há frutos, há frescura, há quanto 
Faz um poema doce e desejado; 
Mas quem passa na rua 
Nem sequer sonha que do outro lado 
A paisagem da vida continua. 

Miguel Torga in “Diário VI” | 1952