Cântigo Negro

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções! 
Ninguém me peça definições! 
Ninguém me diga: “vem por aqui”! 
A minha vida é um vendaval que se soltou. 
É uma onda que se alevantou. 
É um átomo a mais que se animou… 
Não sei por onde vou, 
Não sei para onde vou, 
-Sei que não vou por aí! 

in “Poemas de Deus e do Diabo” | 1925