Trovas à morte de D. Inês de Castro

Fala D. Inês 
Qual será o coração 
tão cru e sem piedade, 
que lhe não cause paixão 
uma tão grã crueldade 
e morte tão sem razão? 
Triste de mim, inocente, 
que, por ter muito fervente 
lealdade, fé, amor 
ao príncipe, meu senhor, 
me mataram cruamente! 

Excerto