Soneto

Aquele claro sol, que me mostrava 
O caminho do Céu, mais chão, mais certo, 
E com seu novo raio ao longe e ao perto 
Toda a sombra mortal m’afugentava, 

Deixou a prisão triste em que cá estava. 
E fiquei cego e só, co passo incerto, 
Perdido peregrino no deserto, 
A que faltou o guia que o levava.