Poeta

Fernando António Nogueira Pessoa, nasceu em Lisboa em 1888 e morreu em 1935. Foi poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, professor, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português.

1888 | POETA

Fernando Pessoa

Foto: Carmo Montanha

vida e obra

Fernando António Nogueira Pessoa, nasceu em Lisboa em 1888 e morreu em 1935.
Foi poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português.

Educado na África do Sul, Fernando Pessoa tinha grande familiaridade com a lingua inglesa, chegando a escrever os seus primeiros poemas nesse idioma. Das quatro obras que publicou em vida, três são na língua inglesa. Traduziu várias obras de inglês para português e de português para inglês.

Fernando Pessoa é considerado, a par de Camões, o maior poeta de língua portuguesa, tendo feito chegar a lugar cimeiro a poesia lusa no século XX.

Fernando Pessoa assinou inúmeros poemas utilizando vários heterónimos, destaque para: Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis.
Esta multiplicidade de heterónimos, resulta de características pessoais referentes à sua personalidade, nomeadamente à capacidade que tinha no desdobramento do “eu” e da multiplicação de identidades.

"Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor."

Excerto de "Mensagem - X" mar portuguÊs | 1931

o Poeta no Parque

O tríptico de uma personalidade heterónima: Ricardo Reis, Álvaro de Campos e Alberto Caeiro. As pedras espalhadas no relvado aludem à diferenciada obra literária.

Leitura Escultórica
Fernando Pessoa ícone de si mesmo: chapéu, laço, gabardina. Esculpido em mármore branco de Estremoz, bujardado, ou seja, trabalhado com a bujarda que é um martelo com bicos. Simbologia que aponta para a personalidade complexa e heteronímica do poeta. Na cabeça três patamares de categorias isotéricas:

  • Laço – aprendiz;
  • Bigode – companheiro que fala e faz perguntas;
  • Chapéu – mestre que pensa e ensina os anteriores;

Na mão esquerda o poeta segura a Mensagem. Esta continua-se por um prolongamento da aba da gabardina, sugerindo a ideia ao vento do Quinto Império.

Leitura Poética
Os elementos escultóricos remetem para a personalidade multifacetada do poeta e ao seu processo criador. Os materiais e técnicas utilizadas e os símbolos escolhidos refletem o seu espírito poético heteronímico, a criação de amigos imaginários, escritores e poetas como ele, que embora sendo heterónimos, espelhavam complexidade, genialidade e a intensidade da sua escrita, mas também as suas interrogações em torno da unidade do sujeito versus fragmentação e pluralidade do Eu.

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 13 de junho de 1888 – Lisboa
Morte: 30 de novembro de 1935 – Lisboa

Fernando Pessoa | Biografia

Ler Mais Ler Melhor

Vida e Obra de Fernando Pessoa

LISBON REVISITED 2D VERSION - EDGAR PERA

Casa Fernando Pessoa

https://casafernandopessoa.pt

Rua Coelho da Rocha, 16 Campo de Ourique 1250-088 Lisboa Telf. 213 913 270
e-mail:
info@casafernandopessoa.pt

Parque dos PoetaS

Pétala 55

Mecenas: IGLOOLÁ, Distribuição de Gelados e Ultracongelados, Lda.

Localização

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.