Poeta

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas Rato, foi um dos maiores poetas portugueses contemporâneos. Tem obras publicadas em várias línguas. Recebeu o vários prémios entre eles o Prémio Camões, em 2001.

1923 | POETA

Eugénio de Andrade

foto: Carmo Montanha

vida e obra

Eugénio de Andrade nasceu sob a pela de José Fontinhas Rato, a 19 de Janeiro de 1923, em Póvoa de Atalaia, uma aldeia da Beira Baixa perto do fundão, onde passou a infância. Mais tarde muda-se para Castelo Branco com a mão e a seguir para Lisboa. Coimbra seria, igualmente, uma cidade que deixaria marca indelével.

Recebeu influência, entre outros de António Botto, Fernando Pessoa e Camilo Pessanha. Convive, de muito perto, com outros poetas como Mário Cesariny, Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge se Sena. 

Desempenhou funções de inspetor dos Serviços Médico-Sociais, no Porto, até à sua reforma, em 1983, mas é na escrita, particularmente, na poesia que se destaca, com uma obra singular, traduzida em diversas línguas. F

Faleceu nesta cidade, aos 82 anos, a 13 de Junho de 2005.

“São como um cristal, as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.”

Excerto "As palavras" |

o poeta no parque

A exaltação da beleza física e do amor, memórias da paisagem originária, pinheiros mansos e romanzeiras, adequadas a uma personalidade tão sensível como rigorosa.

Leitura escultórica
Em mármore branco de Estremoz. Tem na base um retângulo que simboliza o livro. No antebraço direito o poeta segura um pano, o véu do sagrado e há ainda elementos vegetais que remetem para a própria escrita do poeta.

Leitura Poética
Os elementos escultóricos remetem para o homem mediterrânico, um grego no sentido histórico-filosófico. A sua poesia reflete esta luminosidade, a celebração da vida, dos frutos, da nudez.

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 19 de janeiro de 1923 – Póvoa da Atalaia – Fundão
Morte: 13 de junho de 2005 – Porto

Simone de Oliveira - Adeus

urgentemente

Silêncios: Adeus de Eugénio de Andrade

Parque dos PoetaS

Pétala 53

Mecenas: PAPELACO, Sociedade de Representações de Papel e Máquinas de Escritório, S.A.

Localização

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Não existem ainda palavras para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Não existem ainda recursos para apresentar sobre este poeta.

 

 

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.