Escultor

Ao longo dos anos, Álvaro Raposo de França, foi sempre trabalhando no campo da escultura, tendo participado em inúmeras exposições coletivas e dezasseis individuais.
Tem mais de quarenta obras públicas (estátuas, monumentos e bustos), nos Açores, no continente e no estrangeiro.

1940 | escultor

Álvaro Raposo de França

foto: Carmo Montanha

vida e obra

Nasceu na cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel nos Açores em 1940. Ingressou na Escola Superior de Belas-Artes do Porto em 1960, onde foi aluno dos Escultores Gustavo Bastos, Eduardo Tavares, Lagoa Henriques, e Barata Feyo com quem trabalhou nos últimos anos do curso.

Participou nas Exposições Magnas de 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965, bem como na IV Exposição Extra-Escolar dos Alunos da ESBAP.

Em 1989 começa a lecionar na então Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa onde se manteve até à sua aposentação em 2000 (já como Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa). Em 2007 regressa definitivamente a Ponta Delgada.

É autor de numerosas medalhas e monumentos públicos, entre os quais se destacam a estátua de Cristóvão Colombo no lugar dos Anjos, na ilha de Santa Maria, o busto de Vitorino Nemésio na cidade de Praia da Vitória, na ilha Terceira, e o monumento a António Alves de Oliveira na Vila do Nordeste, na ilha de São Miguel, nos Açores e, naturalmente, a de Antero de Quental no Parque dos Poetas.

O escultor no Parque dos Poetas

“Por ti é que a poeira movediça
De astros, sóis e mundos permanece;
E é por ti que a virtude prevalece,
E a flor do heroísmo medra e viça.”

excerto de "Hino à Razão" | 1873
partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 1940 – Ponta Delgada

Parque dos PoetaS

Pétala 25

Localização