Escultor

Foi um professor e escultor português.
Pertence à terceira geração de artistas modernistas portugueses.

Com obra nas áreas do desenho e escultura, dedicou-se em particular à estatuária e à medalhística.

1932 | escultor

Helder Coelho Batista

foto: Carlos Santos

vida e obra

Trabalhou e conversou até ao fim, o homem que durante 33 anos foi professor da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa.

Quando tinha 75 anos, Hélder Batista, venceu o grande prémio do congresso da Federação Internacional de Medalhística nos Estados Unidos. A medalha comemorativa dos 50 anos da Igreja Paroquial de Santo António de Moscavide, cunhada em bronze em bronze, valeu-lhe ter sido distinguido entre 150 artistas.

O escultor venceu aquela que é considerada a maior distinção na arte da medalhística com a medalha comemorativa dos 50 anos da Igreja Paroquial de Santo António de Moscavide, de 2006 e cunhada em bronze.

A sua formação académica foi feita na Casa Pia de Lisboa e na Escola Superior de Belas Artes da mesma cidade. Começou a expor individualmente em 1968. Dez anos antes já tinha participado numa mostra coletiva em Roma.

Foi bolseiro de várias Instituições nacionais e estrangeiras. Foi Membro de Associações e Academias, destacando-se da Sociedade Nacional de Belas Artes, onde fez parte da direção e mais tarde eleito para o conselho técnico. 

Tem uma vasta obra no campo da medalhística e da Escultura Integrada, também presente em espaços públicos e inúmeras localidades, nomeadamente em Oeiras. 

Tem numerosos prémios e exposições individuais e coletivas nacionais e internacionais. Está representado em coleções e Museus, institucionais e particulares em Portugal e no estrangeiro.

“Já quasi até morria
C’os olhos nos da amada.
E ela que se sentia
Não menos abrasada:”

excerto "já Quasi até morria" |
partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 5 de novembro de 1932 – Vendas Novas

Morte: 21 de fevereiro de 2015 – Lisboa

Parque dos PoetaS

Pétala 17

Localização