Escultor

João Charters de Almeida e Silva é um artista plástico português. Pertence à terceira geração de escultores portugueses. Usa os títulos de 4.º Conde da Baía e 3.º Conde de Oliveira dos Arcos, respetivamente.

1935 | escultor

Chartres de almeida

foto: Carmo Montanha

vida e obra

Nasceu em Lisboa em 1935. Em 1962 concluiu com 20 valores o Curso Superior de Escultura e a Tese na Escola Superior de Belas Artes do Porto, sendo convidado para assistente com regência. Fica Professor efetivo mediante Concurso Público em 1971.

Até 1973 o seu trabalho é predominantemente dominado pelo bronze, mas após um período sabático (entre 73 e 83) regressa ao trabalho de escultura com novas expressões e linhas de pensamento desenvolvendo outros conceitos ligados a intervenções no espaço público, marcados por novas relações de escala e pela utilização de novos materiais: aço, mármore, granito e betão armado. “Portas Passagens, Cidades Imaginárias” são os temas centrais da nova era do seu trabalho.

A convite das Faculdades de Arquitetura da Universidade de Bolonha, da Universidade IUAV de Veneza, do Politécnico de Milão Campos e do Politécnico de Torino, faz uma exposição itinerante com o tema “A Construção da Forma entre Arquitetura e Escultura“.
Tem trabalhos de grande escala no espaço público em Portugal, Bélgica, U.S.A., Canadá e China.

É condecorado por Portugal, França, Bélgica e Itália. Ganhou inúmeros concursos públicos de medalha e medalha-objeto (conceito por si criado) e vários prémios de escultura. Desenhou figurinos e decors de bailados e óperas para a Gulbenkian e Teatro Nacional de São Carlos, tendo ganho um prémio internacional com a Ópera Tosca e um prémio na Bienal de São Paulo com o Bailado Night Sounde.
Foi bolseiro de Instituições de Portugal, França e U.S.A.

É Doutor Honoris Causa pela Universidade Lusíada de Lisboa e pela Universidade de Lisboa.

O escultor no Parque dos Poetas

“São águas claras sempre cantando,
Verdes colinas, alvor de areia,
Brancas ermidas, fontes chorando
Na tremulina da lua cheia…”

Excerto de "Ilha dos Amores" |1897
partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 12 de julho de 1935

Entrevista

Parque dos PoetaS

Pétala 28

Localização