Poeta


O manuseio da palavra era, para Natália Correia, um instrumento poderoso de luta contra a intolerância e o obscurantismo e defesa dos valores fundamentais humanistas e democráticos.

1923 | POETA

Natália Correia

foto: Município de Oeiras

vida e obra

Quando Natália de Oliveira Correia tinha 11 anos, o pai emigrou, fixando-se Natália com a mãe e a irmã em Lisboa, onde fez os estudos liceais.

Produziu uma obra vasta, englobando vários géneros literários, com traduções em várias línguas e edições póstumas. 

Abriu, em 1971, o bar Botequim, onde, durante as décadas de 1970 e 1980, se reuniu parte da intelectualidade portuguesa.

 Natália Correia recebeu, em 1991, o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores pelo livro Sonetos Românticos. E foi agraciada com a Ordem de Santiago e a Ordem da Liberdade.

Dotada de talento oratório e de espírito combativo, participou em diversos movimentos de oposição ao regime. O manuseio da palavra era, para Natália Correia, um instrumento poderoso de luta contra a intolerância e o obscurantismo e defesa dos valores fundamentais humanistas e democráticos. 

"Senhores jurados sou um poeta
um multipétalo uivo um defeito
e ando com uma camisa de vento
ao contrário do esqueleto."(...)

Excerto de "A defesa do poeta" | 1966

A POETA NO PARQUE

No seu mundo, tornado auditório, ressoa a voz da veemência feminina, da paixão comunicativa, tão altiva como o aprumo do cipreste, engalanada por estivais loendros em flor.

Leitura Escultórica
Escultura esculpida em pedra vulcânica dos Açores, invocando a passagem inevitável do tempo, mas preservando o ícone de beleza que representa. Reflete a altivez, a sobranceria da mulher de ideias políticas esclarecidas. 

Mãos apoiadas numa barra, como se estivesse a dissertar no Parlamento (foi deputada) ou no bar Botequim que era o ponto de encontro com os amigos em noites que ficaram memoráveis.

Leitura Poética
Os elementos escultóricos apontam toda a simbologia da mulher cuja personalidade defendia a liberdade e oposição às convenções sociais de que a sua poesia constitui o expoente máximo. Referência ao talento oratório e espírito combativo.

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 13 de setembro de 1923 – Fajã de Baixo (Açores)
Morte: 16 de março de 1993 – Lisboa

Culto

Episódio 1 – Beatriz Batarda + Vera Mantero

Dizem os Poetas

3 Mulheres

Série de ficção da RTP a partir das biografias de Natália Correia, Snu Abecassis e Vera Lagoa.

Parque dos PoetaS

Pétala 52

Mecenas: SILCOGE, Sociedade Construtora de Obras Gerais, S.A.

Localização

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Não existem ainda recursos para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.