Poeta

Poetisa, tradutora e pedagoga portuguesa, D. Leonor de Almeida Portugal Lorena e Lencastre, mais conhecida por Marquesa de Alorna, foi uma figura de rara erudição, autora de uma obra epistolar ainda por descobrir e grande divulgadora das novas ideias vindas da Europa.

1750 | POETA

Marquesa de Alorna

foto: Carmo Montanha

vida e obra

Marquesa de Alorna, batizada D. Leonor de Almeida de Portugal Lorena e Lencastre, foi uma poetisa reconhecida e uma mulher de espírito vivaz e irreverente.

Descendente dos Távoras, D. Leonor foi encerrada no Convento de Chelas, juntamente com a mãe e a irmã, onde iria passar uns longos 18 anos, por alegadas ligações da família ao atentado contra o Rei D. José.

Por conselho e orientação do pai, homem de notável cultura, ministrados através de aturada e quantiosa correspondência, aprendeu línguas, em especial o latim, o francês e o italiano, estudou Filosofia, História Antiga e Moderna, dedicou manifesto interesse às Ciências Naturais e, sobretudo, pôde colher uma esmerada educação literária no convívio com uma longa série de figuras, profundamente marcadas pelo ambiente literário do neoclassicismo português. É o caso de Filinto Elísio, autor do seu pseudónimo poético: Alcipe.

Dedicou-se à leitura dos clássicos franceses e dos iluministas, fato que, sem dúvida, irá forjar a personalidade literária e humanista desta mulher ímpar da cultura portuguesa.

“Conforta-me, Senhor, que esta saudade
Me despedaça o coração sensível;
Se a teus olhos na cruz sou desprezível,
Não olhes para a minha iniquidade!”

Excerto de "Se me Aparto de ti, Deus da Bondade"

o poeta no parque

Leitura escultórica
Imagem hierática, fechada, percorrida por uma fenda perpendicular que é uma abertura no seu hermetismo

Leitura Poética
Escrita que fala da mudança, do devir, da vida. Retrato da temporalidade…

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 31 de outubro de 1750 – Lisboa

Morte: 11 de outubro de 1839 – Lisboa

A Alma e a Gente

Se me aparto de ti, deus da bondade

Parque dos PoetaS

Pétala: 18

Escultor: Clara Menéres

Mecenas: BCP

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Não existem ainda palavras para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Não existem ainda recursos para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.