Escultor

João Cutileiro assinou duas das obras mais polémicas das últimas décadas em Portugal: a estátua de “D. Sebastião”, em Lagos, e o monumento ao 25 de Abril, no Parque Eduardo VII, em Lisboa.

1937 | escultor

João Cutileiro

foto: Carlos Santos

vida e obra

Residia e trabalhava em Évora, onde está exposta parte da sua obra, desde 1985.

Realizou a sua primeira exposição individual (“Tentativas Plásticas”) em 1951, com 14 anos, em Reguengos de Monsaraz, onde apresentou esculturas, pinturas, aguarelas e cerâmicas.

Estreou-se nas artes em ateliês de diversos mestres e, depois de uma breve passagem pela Escola de Belas Artes de Lisboa, ingressou, por indicação de Paula Rego, à Slade School of Art, em Londres, onde se diplomou.

Nos anos 60, Cutileiro regressou a Portugal, subvertendo os cânones da estatuária do Estado Novo, intervindo no espaço público com projetos de arte urbana marcada pelo experimentalismo. Destaca-se o Monumento ao 25 de Abril de sua autoria, instalado no Parque Eduardo VII, em Lisboa, entre muitas outras obras. O intimismo, o erotismo e o amor são os principais temas da sua obra escultórica, muito marcada pelo mármore, reconhecida em Portugal e no estrangeiro. 

Foi condecorado com a Ordem de Sant’Iago da Espada, Grau de Oficial, em agosto de 1983, e recebeu o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Évora e pela Universidade Nova de Lisboa, este último, concedido em 2017.

O escultor no Parque dos Poetas

“Quando eu sonhava, era assim
Que nos meus sonhos a via,
E era assim que me fugia,
Apenas eu despertava,
Essa imagem fugidia,
Que nunca pude alcançar.”

excerto "Quando eu Sonhava" | 1853
partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 26 de junho de 1937 – Lisboa

Morte: 05 de janeiro de 2021 – Lisboa

Parque dos PoetaS

Pétala 20

Localização