Poeta

Júlio Francisco Adeodato Barreto, mais conhecido como Adeodato Barreto, foi um poeta e escritor luso-goês. As suas obras contêm importantes arquétipos e paradigmas da cultura hindu. Nos seu poemas observam-se as noções de eterno regresso e de transmigração, âncoras da filosofia Indiana.

1905 | POETA

Adeodato Barreto

foto: Carlos Santos

vida e obra

Adeodato Barreto foi um poeta e escritor luso-goês nasceu em Margão, no antigo estado da Índia sob administração portuguesa, vindo a falecer em Coimbra.

As suas obras contêm importantes arquétipos e paradigmas da cultura hindu. Nos seus poemas observam-se as noções de eterno retorno e de transmigração das almas, âncoras da filosofia indiana. Civilização Hindu é considerada a mais relevante obra em prosa de Adeodato Barreto.

A publicação póstuma do autor – “O Livro da Vida” – contém poemas cuja inspiração e temática foi encontrar no manancial riquíssimo da cultura Indiana, refletindo a sua mente totalmente oriental. 

Foi ainda um republicano e adversário da ditadura de Salazar e um cidadão da sempre eterna e pungente Coimbra, lugar de todas as confluências e de todas as contestações.

“Deus, logo que fez as flores,
Parou e pôs-se a cismar…
— Falta a flor dos meus amores.
Vou outra flor inventar.”

Excerto de "O Génesis da Mulher" | 1922

o poeta no parque

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 03 de dezembro de 1905 – Margão, Índia

Morte: 06 de agosto de 1937 – Coimbra

Só a poesia nos Salvará

Poemas de Adeodato Barreto por Marcus Vinicius Pasini Ozores

Parque dos PoetaS

Pétala 40

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Não existem ainda Palavras para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Não existem ainda recursos para apresentar sobre este poeta.

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.