Poeta

D. Dinis de Portugal, foi grande amante das artes e letras. Ele próprio poeta, deu também um grande impulso à cultura.
Ordenou o uso exclusivo da língua portuguesa nos documentos oficiais. Fundou em Lisboa, em 1290, um Estudo Geral (Universidade) no qual foram desde logo ensinadas as Artes, o Direito Civil, o Direito Canónico e a Medicina.

Mandou traduzir importantes obras, tendo sido a sua Corte um dos maiores centros literários da Península.

1261 | POETA

D. Dinis

foto: Carmo Montanha

vida e obra

D. Dinis foi rei de Portugal entre 1279 e 1325.

Ficou conhecido como o Lavrador, pelo impulso dado à agricultura e pela plantação do pinhal de Leiria e como o Rei-Poeta. Contribuiu ativamente para o desenvolvimento da poesia trovadoresca, deixando um legado significativo de Cantigas de Amor, de Amigo e de Maldizer publicadas nos Cancioneiros Galaico-Portugueses.

Como poeta, D. Dinis é, entre os trovadores dos Cancioneiros, o que melhor representa a poesia trovadoresca, da qual nos legou uma espécie de síntese, tendo cultivado todos os géneros.

” Ai flores, ai flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo?
Ai Deus, e u é?”

excerto de "AI FLORES, AI FLORES DO VERDE PINO" |1290

o poeta no parque

Ajardinamento
Um muro verde isolando o fundo do terreno das casas.
Zona de pinhal envolvente.
Clareira com relva até ao caminho de pedestres.
Na clareira junto aos pinheiros, zona com uma roseira vermelha, alguns vegetais e flores brancas e pequenas.

 

partilhar
conteúdo relacionado

Nota Biográfica

Nascimento: 09 de outubro de 1261 – Lisboa
Morte: 07 de janeiro de 1325 – Santarém

Dom Dinis - "O Lavrador"

cantiga de amigo

Parque dos PoetaS

Pétala 1

Mecenas: Tetra Pak Portugal, SA

  • poemas
  • palavras
  • recursos
  • bibliografia

 

 

Não existem ainda palavras para apresentar sobre este poeta.

 

 

 

 

Não existem ainda recursos para apresentar sobre este poeta.

 

 

Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.