Onze convidados respondem a onze questões sobre Pessoa

Ciclo de Masterclasses

Pessoa Convida Pessoas

Apresentação

Um Ciclo com 11 sessões, de Abril a Junho, para refletir e questionar sobre as inúmeras dimensões e máscaras de Fernando Pessoa. Sempre a partir de uma interrogação. O objetivo é contribuir para uma melhor leitura e conhecimento da personalidade complexa e multifacetada deste escritor que é, seguramente, o maior poeta do século 20 da língua portuguesa, cuja obra é extensa e que tem ainda muito por descobrir.

Para além disso é um dos poetas representados no Parque e cuja obra reflete também a estrutura conceptual que desenha este equipamento e que cruza palavra, natureza e objetos escultóricos numa metáfora gigante que tem na árvore a sua grande materialização e nas folhas o microcosmos poético de cada autor. Assim, neste grupo de interrogações que constitui o corpus da iniciativa incluiu-se não só a sua escrita, com a questão da heteronímia e da multiplicação do eu (para além do ortónimo), mas a desconstrução da pessoa pela obra. Procurámos ler não só a dimensão poética, mas sobretudo a dimensão humana de um dos autores mais lidos de sempre e dos símbolos portugueses mais conhecidos no mundo, traduzido em inúmeras línguas. Hoje o seu vasto mundo literário ainda não está completamente inventariado pelos estudiosos e uma importante parte das suas obras continua à espera de ser publicada.

Jerónimo Pizarro- Curadoria

Jerónimo Pizarro é professor, tradutor, crítico e editor, responsável por mais de 30 edições de e sobre Fernando Pessoa. Professor da Universidade dos Andes, titular da Cátedra de Estudos Portugueses do Instituto Camões e Prémio Eduardo Lourenço (2013), Pizarro voltou a abrir as arcas pessoanas e redescobriu A Biblioteca Particular de Fernando Pessoa ou como Ler Pessoa, para citar alguns títulos da sua bibliografia. Foi comissário da visita de Portugal à Feira Internacional do Livro de Bogotá e coordena há vários anos a visita de escritores de língua portuguesa à Colômbia. É coeditor da revista Pessoa Plural e diretor da Coleção Pessoa na Tinta-da-China. É, por isso, um colombiano que não se cansa de procurar Pessoa e que aceitou de imediato o nosso repto e aceitou fazer connosco esta viagem.

conteúdo relacionado

Ficha Técnica

Moderador: Nicolau Santos

Local: Templo da Poesia

Pessoa Convida Pessoas – de abril a junho de 2018

Camões Convida Pessoas – de novembro de 2018 a fevereiro de 2019

O Enigma de Sophia – de maio a novembro de 2019

Os Poemas Ouvem-se Não se Explicam – março de 2020

Masterclasses


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Com Carlos Vaz Marques.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 4 de abril de 2018 no Auditório do Templo da Poesia.

Quando era novo, Fernando Pessoa deu vida a vários jornais e jornalistas. “A multiplicação de Pessoa em várias personagens, mais do que um fenómeno literário, era uma condição existencial, que remonta à sua infância, como provam os ‘jornais’ inventados por ele aos 13 anos, quando veio de África com a família para passar férias em Portugal”, escreve Richard Zenith em Fernando Pessoa, uma fotobiografia, editada em 2010 pelo Círculo de Leitores e pela Temas e Debates, que se recomenda a quem quiser conhecer ou recordar a vida e a obra do poeta.
O Palrador foi o primeiro jornal elaborado por Pessoa, numa caligrafia cuidada e colunas direitas. A publicação foi feita no início de 1902 e teve cinco “números”. O director chamou-se Pedro da Silva Salles. Entre os colaboradores, estavam nomes como Pad Zé, Pip, Dr. Pancrácio e Diabo Azul. Pouco tempo depois, quando a família esteve na Terceira durante nove dias, o jovem Fernando Pessoa editaria A Palavra. Regressado a Lisboa, retomaria a publicação de O Palrador. Entre os novos colaboradores, estava o poeta Eduardo Lança, cuja biografia, inventada, era apresentada pela “redacção”.
Os jornais do jovem Pessoa, como refere Richard Zenith, incluíam anedotas, charadas, ensaios, poemas, reportagens e notícias. Uma delas, conta o autor da fotobiografia, denunciava o “péssimo costume” que uma prima tinha de se levantar muito tarde.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Com Ricardo Araújo Pereira.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 11 de abril de 2018 no Auditório do Templo da Poesia.

O ponto de partida para esta conversa foi a dimensão cómica da obra de Fernando Pessoa assente numa despersonalização continua, no jogo dialógico de dissonâncias de estilos e formas literárias que dissolve a ideia de uma verdade ou visão única. Aqui retratada na poesia como uma grande brincadeira, implicada na forma como concebe o fingimento poético, um dos seus poemas mais conhecidos. Ou, ainda, os aspetos do humor no Livro do Desassossego, considerado uma espécie de bastidores do teatro pessoano, concentrado na figura literária de Bernardo Soares e na sua moderna consciência do “trágico da ausência do trágico” .


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Clara Ferreira Alves procurou responder à questão “Pessoa foi misógino?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 18 de abril de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Paulo Cardoso procurou responder à questão “Pessoa foi astrólogo?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 26 de abril de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Com Pilar del Río.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 9 de maio de 2018 no Auditório do Templo da Poesia.

Neste sessão procurou-se fazer uma viagem pela figura literária e humana do poeta Fernando Pessoa. Desta vez com a revisitação da obra dessa figura maior na literatura portuguesa que é José Saramago. Do livrou que escreveu e que tem como personagem principal o heterónimo pessoano, no conhecido romance O Ano da Morte de Ricardo Reis. Pela voz de quem conheceu este escritor de forma muito próxima: Pílar del Río.

Pilar del Río é Presidente da Fundação José Saramago, jornalista, tradutora, crítica literária e uma das maiores leitoras do escritor com quem conviveu durante décadas. É, por isso, uma das maiores conhecedoras da sua obra e quem podia, de facto, responder à questão que constituiu o ponto de partida desta reflexão.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Ana Luísa Amaral procurou responder à questão “Pessoa foi sonhador?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 16 de maio de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

António Mega Ferreira procurou responder à questão “Pessoa fez pela vida?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 23 de maio de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Júlio Resende procurou responder à questão “Pessoa foi um letrista de rock?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 6 de junho de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

José Blanco procurou responder à questão “Pessoa foi odiado?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 20 de junho de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

Carlos Pittella procurou responder à questão “Pessoa foi um poeta profano?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 27 de junho de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.


Ciclo de Masterclasses «Pessoa convida Pessoas».

António Sáez Delgado procurou responder à questão “Pessoa foi ibérico?”.

Esta iniciativa teve curadoria de Jerónimo Pizarro, um dos maiores pessoanos conhecidos e também editor, colombiano e português, o que revela a dimensão internacional e o interesse que Fernando Pessoa mobiliza.

A moderação esteve entregue a Nicolau Santos.
A sessão realizou-se no dia 4 de julho de 2018 na Sala Camões do Templo da Poesia.

partilhar
Masterclasses

Camões convida pessoas

Onze convidados respondem a onze questões sobre Camões.

Masterclasses

O enigma Sophia

Onze convidados respondem a onze questões sobre Sophia de Mello Breyner Andresen.